ROMI - A embaixadora da nossa coleção pre-verão 21 e sua historia.

ROMI - A embaixadora da nossa coleção pre-verão 21 e sua historia.

Um lançamento histórico de 1956.

Marco da indústria automobilística brasileira, o primeiro carro de passeio fabricado no Brasil, o Romi-Isetta, foi produzido por Indústrias Romi S.A., de Santa Bárbara d'Oeste-SP. O "pequeno pioneiro" deixou saudades: de características marcantes, possui formato de gota d'água e uma única porta frontal.

No início dos anos 1950, o Brasil iniciava sua projeção rumo ao futuro: a economia crescia, e novos comportamentos e costumes surgiam. No País, vivia-se otimismo e uma necessidade por modernidade, que se espalhava por toda a sociedade: nas artes, na arquitetura, na indústria.

Esse novo país que crescia e demandava por modernidade, um fato iria modificá-lo para sempre: há 55 anos, no dia 5 de setembro de 1956, uma ensolarada quarta-feira, São Paulo testemunhou um desfile com os primeiros 16 exemplares do primeiro carro de passeio produzido em série no Brasil. Pela primeira vez, via-se circular por nossas ruas um carro que não era meramente montado com componentes importados, mas sim um carro realmente fabricado no Brasil - com 72% (em peso) de suas peças de fato produzidas localmente. Um carro Brasileiro, enfim. Um carro chamado Romi-Isetta.

Diferentemente dos demais, o Romi-Isetta era gracioso, leve e fácil para dirigir. A direção era dócil; as trocas de marchas, suaves. A embreagem leve e a ampla visibilidade, aliados ao bom desempenho, conforto e facilidade para estacionar representavam um convite para dirigir. Assim, com o surgimento do Romi-Isetta, ficou claro para elas que "carros podiam ser coisa de mulher, sim senhor!"

 UM CARRO DE MULHERES.

A estratégia de publicidade adotada pelo fabricante visava a expor o modelo a diferentes públicos: de segundo carro para a família ao estudante universitário. Algumas peças publicitárias foram criadas visando o público feminino, como por exemplo o anúncio que exibia uma mulher saindo de uma gaiola para entrar em um Romi-Isetta, com os dizeres "agora sou livre.

Essa ~e a historia da nossa embaixadora na coleção Romi, um carro feito para mulheres que representava liberdade.